Política G1 - Política

Em cerimônia com Lula, comandante reafirma compromisso do Exército na defesa dos 'mais caros ideais democráticos'

.

Por André Miranda

19/04/2024 às 12:07:23 - Atualizado h√°
General Tomás Paiva também defendeu 'previsibilidade orçamentária' para projetos militares. Lula compareceu a evento do Dia do Exército, em Brasília. Os comandantes das Forças Armadas prestam continência ao presidente Lula durante cerimônia em comemoração ao Dia do Exército

Ricardo Stuckert/Presidência da República

O comandante do Exército, general Tomás Paiva, afirmou nesta sexta-feira (19), que a Força "reafirma o eterno compromisso" com o país para defesa "dos mais caros ideais democráticos".

Paiva deu a declaração durante cerimônia do Dia do Exército, em Brasília, com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"No dia de hoje, ao completar 376 anos de glórias, a Força Terrestre reafirma o eterno compromisso com a Nação brasileira em defesa da Pátria e dos mais caros ideais democráticos, mesmo com o sacrifício da própria vida", disse o general, que acrescentou.

"Integramos uma Instituição de Estado, alicerçada na hierarquia e na disciplina, que se mantém coesa pelo culto a valores imutáveis".

Militares da reserva e ativa são alvos de investigações e processos em razão dos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023.

Desde que assumiu o Exército, no ano passado, Paiva adota discurso de respeito ao resultado das eleições e de saída dos militares da política, na contramão do que ocorreu no governo de Jair Bolsonaro (PL).

Paiva também defendeu "previsibilidade orçamentária" para fortalecer projetos da base industrial de Defesa do país "e aumentar a capacidade de dissuasão em um mundo multipolar, no qual os conflitos bélicos são uma realidade".

Atualmente, o Brasil não tem participação direta em conflitos armados. As guerras em cursos de maior repercussão ocorrem na Ucrânia (Ucrânia x Rússia) e na Faixa de Gaza (Israel x Hamas).

O ministro da Defesa, José Múcio, reforçou nesta semana, na Câmara dos Deputados, o pedido de reforço no orçamento das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).

Em março, a fim de adequar o orçamento à regra fiscal, o governo federal bloqueou recursos R$ 2,9 bilhões.

O Ministério da Defesa teve R$ 446 bilhões bloqueados na ocasião. O dinheiro foi segurado para cumprir limites de gastos do arcabouço fiscal.
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

O Jornal

© 2024 Copyrigth 2023 - O JORNAL, todos os direitos reservados.
Avenida 9 nº 625 - Sala 8 - Centro - Rio Claro - SP

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

O Jornal