Educação

Autismo: Educação de SP distribuirá guia inédito para todas as escolas estaduais

Material foi criado para inspirar professores, estudantes e comunidade escolar na construção de pr√°ticas inclusivas para pessoas com TEA.

Por Redação

03/04/2024 às 10:43:06 - Atualizado h√°
Foto: Governo do Estado de São Paulo.

Neste dia 2 de abril, Dia Mundial da Pessoa com Autismo, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) participou da 1¬™ Jornada Estadual de Conscientização sobre o Autismo, organizada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Defici√™ncia (SEDPcD). Durante o evento, foi lançado o guia "Transtorno do Espectro Autista: Diretrizes para o Ensino Fundamental e Médio nas Escolas Paulistas", construído pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). O material ser√° distribuído a todas as 5.300 unidades da rede e ser√° base para a construção de ações de inclusão que devem envolver professores, estudantes e membros da comunidade escolar.

Atualmente, 19,9 mil estudantes com autismo estão matriculados nas escolas estaduais paulistas e são foco do desenvolvimento do novo guia. O material ser√° distribuído de duas maneiras, em formato impresso e digital, de forma que todas as unidades sejam alcançadas e passem a trabalhar simultaneamente com o apoio do guia.

O guia lançado nesta terça-feira também embasar√° o trabalho de novos profissionais que passarão a integrar as equipes escolares a partir do segundo semestre deste ano, conforme anunciou o secret√°rio da Educação, Renato Feder, durante o evento. "Agora vamos contratar 400 profissionais de apoio escolar para apoio de atividades. Eles estarão nas nossas escolas a partir do m√™s de agosto. Estamos desenvolvendo um trabalho para conectar, atender e desenvolver bem os nossos estudantes", disse Feder.

Os profissionais de apoio escolar para atividades escolares serão contratados por meio de licitação, j√° iniciada pela Seduc, e em formato de projeto inicial. Eles serão acompanhados pela equipe técnica, com objetivo de expandir o número de contratados nos próximos anos. No dia a dia escolar, espera-se que esses profissionais acompanhem estudantes com TEA e com outras defici√™ncias na inclusão social, educacional e no acompanhamento das aulas.

O guia

Na Unesp, o guia foi desenvolvido por meio da Coordenadoria de Ações Afirmativas, Diversidade e Equidade (Caadi) e do Laboratório de Tecnologias para o Desenvolvimento e Inclusão de Pessoas (LaTeDIP).

Após o lançamento nesta terça-feira, a Seduc-SP, por meio do Departamento de Modalidades Educacionais e Atendimento Especializado (Demod), da Coordenadoria Pedagógica (Coped), d√° início a uma série de di√°logos com as equipes de educação inclusiva das 91 Diretorias Regionais de Ensino do Estado, de forma a expandir o trabalho a partir desse guia.

Nas escolas, a implantação do guia pretende apoiar as equipes a derrubar mitos, estereótipos e preconceitos a respeito de crianças, adolescentes e adultos com TEA, como mais uma ferramenta educacional para a cultura inclusiva e assertiva, com orientações aos educadores, pais, estudantes e comunidade em geral, com vistas a inspirar na construção de pr√°ticas dentro e até mesmo fora do ambiente escolar.

Na Escola Estadual Origenes Lessa, localizada em Diadema, a cultura de inclusão j√° faz parte do cotidiano da unidade, onde atualmente h√° 12 estudantes com TEA matriculados, em um total de 844 alunos. "Temos sala de recursos h√° 18 anos e j√° estamos ansiosos e empolgados em trabalhar com esse guia. A inclusão faz parte do nosso cotidiano, incentivamos o protagonismo e a tomada de decisões aos estudantes com TEA, assim como alunos com outras defici√™ncias. Nesta semana, por exemplo, para marcar o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, uma estudante do Ensino Médio decidiu visitar todas as salas de aula e contar sobre sua experi√™ncia na escola. Eles estão sabendo, por ela, que ela não gosta de barulho ou de palmas e isso também é essencial para criar relações respeitosas entre colegas", conta a diretora Angela Maria Brasília Henriques.

Educação triplica docentes que apoiam estudantes com TEA

A Seduc-SP triplicou o número de professores do projeto Ensino Colaborativo entre 2022 e 2023. No último ano letivo, 3.424 docentes atuaram nas escolas estaduais como colaboradores dos regentes, respons√°veis por lecionar as disciplinas do currículo, e dos de atendimento especializado, que estão nas salas de recurso. Em fase de implantação em todas as diretorias de ensino, o projeto tem a função de promover um ambiente inclusivo e equânime, previsto na Política de Educação Especial do Estado de São Paulo e no Plano Integrado para Pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo – TEA.

Diferente dos outros dois profissionais que estão no dia a dia dos estudantes e em sala de aula, cabe ao professor colaborativo apoiar a equipe gestora e funcion√°rios, acompanhar intervalos e aulas regulares, participar de reuniões pedagógicas e auxiliar o acolhimento de pais e famílias.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

O Jornal

© 2024 Copyrigth 2023 - O JORNAL, todos os direitos reservados.
Avenida 9 nº 625 - Sala 8 - Centro - Rio Claro - SP

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

O Jornal